O Meio e o Si

Seu blog de variedades, do trivial ao existencial.

Obama, o Comediante

Nesta semana ocorreu um evento tradicional nos EUA que ilustra bem o ponto que levantei no post Por Trás do Riso, sobre a importância da comédia stand-up na cultura americana: o White House Correspondents’ Dinner. Trata-se de um tradicional jantar promovido na Casa Branca para a elite da política e da mídia do país, onde o Presidente da República, por uma noite, exerce papel de comediante stand-up. Nesse evento, ele tem carta branca para dizer (praticamente) o que quiser e, aos demais presentes, inclusive os alvos das piadas, lhes resta apenas rir e aceitar (por vezes constrangidos) as provocações. Naturalmente, o evento torna-se uma oportunidade para o Presidente alfinetar adversários, jornalistas e, claro, rir de si próprio.

Seguem algumas pérolas de Obama:

  •  “Os republicanos ainda estão tentando entender porque perderam a eleição de 2012, mas já concordam que precisam melhorar a comunicação com as minorias raciais do país. Veja bem, não quero parecer egocêntrico, mas eu consigo pensar numa minoria para eles começarem… Êi, estou bem aqui! Me use como teste piloto!” (Provocação ao fato de os Republicanos serem criticados por não dialogar com o Presidente)
  • “Hoje em dia me olho no espelho e, tenho que admitir, não sou mais aquele jovem muçulmano ardente que já fui um dia.” (Dupla reação aos comentários de que ele teria envelhecido muito no cargo e de que seria muçulmano, segundo radicais do movimento Tea Party)
  • “A CNN vem sofrendo muitas críticas recentemente, mas admito que admiro o compromisso que eles têm em mostrar todas as versões de cada estória – caso uma delas por acaso esteja certa.” (Provocação à rede de TV CNN, que vem sendo criticada pelo jornalismo sensacionalista)
  • “Eu realmente respeito muito a mídia. Reconheço que a mídia e eu temos papéis bem distintos: meu papel é ser Presidente; o papel de vocês da mídia é manter minha humildade. Honestamente, estou fazendo meu papel bem melhor.” (Brincando com a crítica de que ele seria muito vaidoso)
  • “As mídias digitais avançam tão rapidamente que é difícil acompanhar. Me lembro quando BuzzFeed era apenas algo que eu fazia na faculdade às 2 horas da manhã.” (Trocadilho com as palavras “buzz” e “feed”, que juntas podem significar “ficar doidão”)
  • “Algumas pessoas sugeriram que eu construísse minha biblioteca presidencial no meu local de nascença; mas eu preferi fazê-la nos EUA.” (Provocação aos radicais do movimento Tea Party que insistem que Obama não nasceu nos EUA e portanto não poderia ser Presidente).

Como seria um evento dessa natureza no Planalto Central, com mídia e oposição reunidos sob o mesmo teto e sofrendo provocações do(a) Presidente da República?

Foto: fonte desconhecida (Google imagens)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 30 de abril de 2013 por em ARTE & ENTRETENIMENTO, SOCIEDADE & POLÍTICA e marcado , , , , , .

Digite seu endereço de email para acompanhar este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 206 outros seguidores

Curta página no facebook

Siga no Twitter

%d blogueiros gostam disto: